domingo, 31 de agosto de 2008

MOPTC quer redução das taxas portuárias no acesso ferroviário aos portos

O Governo está a pensar "introduzir medidas de discriminação positiva para o acesso aos portos através da ferrovia, em termos de entradas e de saídas de mercadorias", afirmou Ana Paula Vitorino ao Diário Económico.O jornal adianta que estas medidas serão criadas para todos os portos em geral e para cada um dos portos em especial, adiantando que estas medidas não serão apenas de carácter financeiro, mas também no plano físico, dando prioridade ao modo ferroviário na movimentação de cargas e descargas nos portos.Esta medida terá agora que ser aprovada por Bruxelas. Mas tal não deverá suscitar o chumbo, face às recentes decisões da EU relativas à Eurovinheta, que dão ao transporte rodoviário a maior responsabilidade no congestionamento e na contaminação ambiental e sonora do espaço europeu, e por esse facto obrigando a rodovia ao pagamento dos custos externos que provoca no uso das infraestruturas. Teria assim cabimento, nas apertadas regras de concorrência de Bruxelas, a redução das taxas portuárias para as empresas que optarem por transportar as suas mercadorias por comboio em detrimento do camião

PORTO NOVO - MADEIRA




Porto Novo: Arieiras descarregam a areia para a construção na Madeira.
Texto e Imagens: www.sergiocruises.blogspot.com

sábado, 30 de agosto de 2008

HANJIN BREMERHAVEN - O MAIS RÁPIDO


O armador coreano Hanjin, lançou o navio porta-contentores mais rápido do mundo: o “Hanjin Breemrhaven”. Com uma capacidade de 6665TEU, irá operar no tráfego asiático, tendo uma velocidade de cruzeiro de 26 nós, podendo atingir os 27,0 nós, capaz de melhorar a regularidade do Schedule do serviço. Tem 304 metros de comprimento e 58000 DWT. A máquina propulsora tem 93000 hp.
A questão que se põem é se ao preço que o combustível está, vale a pena ou não velocidades destas.
De acordo com a DynaLiners/GL, apresentam-se os cálculos de consumo em dólares por dia, para várias velocidades e vários tipos de navios.
Em resumo, se um navio de 8000 TEU reduzir a sua velocidade de 24 para 20 nós, mesmo adicionando um navio extra ao serviço (a um custo diário de 45000 $USD), consegue-se atingir uma poupança anual de 10 milhões de dólares.

VESSEL SPEED REDUCTION ( VSR )


O Porto de Los Angels, Califórnia, lançou em 2002 uma medida inovadora, no combate à poluição atmosférica na zona portuária: a redução voluntária da velocidade de aproximação ao porto. Assim, as autoridades solicitaram aos navios que reduzissem a sua velocidade para 12 nós, a partir do momento que se encontram a uma distância de 20 milhas do porto.
A simples redução de 3 a 12 nós por navio, é suficiente para eliminar muitas toneladas diárias de emissões atmosféricas. As autoridades preparam-se agora para ampliar a distância de cobertura desta medida para 40 milhas.
Naturalmente, estas medidas são suportadas através do funcionamento de um VTMIS, onde os navios se identificam quando cruzam a fronteira das 40 milhas, marcando automaticamente a sua posição na fila de espera de acesso aos terminais portuários, não sendo necessário continuarem a navegar a toda a velocidade até à zona de fundeadouro.

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

M/V: TONGAN


Vessel descriptions of M/V: TONGAN
Imo: 9371402
Flag: German
Home Port: Hamburg
L.O.A: 140.4 mtr
L.P.P: 131 mtr
Teus capacity: 925 teus
Gross: 10.649 Tons
Owners: MS " TONGAN " SCHIFFAHRTS-GESELLSCHAFT mbh & Co.
Presently on carrier from Hamburg to St.Petersburg.
Imagens/images copyrights, Mr.Robert Volker, Holland

terça-feira, 26 de agosto de 2008

domingo, 24 de agosto de 2008

CSAV NORASIA anuncia ligação directa Ásia-Lisboa


O armador CSAV NORASIA anuncia uma ligação entre Port Klang e Lisboa, baptizada ANE Service. A companhia justifica a oferta com a necessidade de responder às solicitações dos consumidores, avançando que continua a oferecer uma grande escolha de serviços do Norte e Centro da China até à Península Ibérica. A partir de agora, Lisboa é primeiro porto tocado na Europa, antes do Havre, no norte de França.Começando na 1ª semana de Setembro, a ANE Service vai oferecer um transit time mais rápido que o actual serviço em cerca de 10 dias. O armador frisa que Lisboa é um porto sem congestionamentos na ponta mais Ocidental da Europa Continental, permitindo aos clientes chegar aos maiores portos da Ásia, África do Norte e Europa do Norte. Além disso, o porto da capital portuguesa dispõe de serviços feeder semanais e ligações ferroviárias aos grandes centros consumidores espanhóis, às várias regiões de Portugal e Marrocos entre 2 a 7 dias. Esta nova ligação também vai oferecer aos clientes um tempo líder de mercado para Lisboa e Leixões a partir da Ásia, numa média de 21 dias, graças aos oito navios alinhados no serviço, com capacidades a rondar os 6.000 teu.A rotação do serviço será: Shanghai/Ningbo/Xiamen/Yantian/Hong Kong/Port Klang/Lisboa/ Havre/Hamburgo/Roterdão/Antuérpia/Port Klang/Da Chan Bay. A CSAV NORASIA é uma linha de transporte presente nas rotas de comércio Este -Oeste. Está localizada em Hong Kong, e faz parte do CSAV Group, sediado em Valparaiso, Chile.

NOVOS PORTOS

O Governo criou as Administrações do Porto da Figueira da Foz, e do Porto de Viana do Castelo. O objectivo do Governo é dotar estes dois Portos de uma « Gestão mais dinâmica e Flexibilizada, suportada em elevados níveis de autonomia e atraibuição de competências »

sábado, 23 de agosto de 2008

TRANSPORTE MARÍTIMO INTER-ILHAS NOS AÇORES

No passado dia 16 de Julho do corrente ano a Comissão Europeia aprovou um regime de financiamento Português para o transporte Marítimo Inter-Ilhas noa Açores, esse periodo vai até 2013 ao abrigo do sistema de incentivos para o Desenvolvimento Regional dos Açores (SIDER), cujo orçamento anula está estimado em cinco milhões de Euros, Bruxelas reconhece que o Transporte Marítimo Inter-Ilhas nos Açores é afectado por custos suplementares comparativamente a outras regiões, atendendo às condições climatéricas e Marítimas , às caracteristicas das instalações portuárias e á frota existente, além de ser uma região ultra-periferica, e como tal elegível para fins de financiamento, concluindo que este auxílio é compativél com as regras do mercado comum.

MAERSK - AUMENTO DA FROTA

A A.P.MOLLER - Maersk, adjudicou um total de 18 Porta-Contentores com capacidade de 4.500 Teu's cada á HYUNDAI HEAVY INDUSTRIES, espera-se a sua entrega até finais de 2012.

Adjudicou também aos Sul-Coreanos da DAEWOO SHIPBUILDING AND MARINE ENGINEERING um total de 16 Porta-Contentores com uma capacidade individual de 7.500 Teu's, nestes destaca-se 1.700 Contentores frigorificos, espera-se a sua entrega até finais de 2012.

terça-feira, 19 de agosto de 2008

AQUISIÇÕES

Sul-coreana STX controla 88,37% da norueguesa Aker Yards

O estaleiro naval sul-coreano STX Shipbuilding passou a controlar 88,37% do grupo norueguês de construção naval Aker Yards, proprietário dos ex-Chantiers de l'Atlantique, anunciou hoje a Aker Yards, após a OPA sexta-feira passada.
Obrigada pela lei norueguesa a lançar uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre a Aker Yards (após ter ultrapassado o nível dos 40% no final de Junho), a STX propôs 63 coroas por acção, elevando a sua participação para 6,84 mil milhões de coroas (cerca de 860 milhões de euros). Em Seul, a STX especificou ter adquirido 48% do capital da Aker Yards por 427,6 milhões, duplicando assim a sua participação no grupo norueguês. Os resultados definitivos da OPA serão publicados na próxima quarta-feira. Um porta-voz da STX disse que a transacção será finalizada a 29 de Agosto, adiantando que a operação "possibilitará à STX entrar na construção de navios de cruzeiro". Os estaleiros passarão a ser designados por STX Europa após uma reunião de accionistas a realizar no princípio de Setembro. A mesma fonte especificou, que na Noruega, a Aker manter-se-à especializada na construção de navios para serviço às plataformas off-shore, enquanto que em França, os estaleiros continuarão especializados na construção paquetes de passageiros e navios de guerra. A semana passada, a Aker Yards anunciou perdas líquidas de 135 milhões de coroas norueguesas (16,9 milhões de euros) no segundo trimestre do ano, ou seja, a terceira perda trimestral consecutiva, contra resultados positivos de 200 milhões de coroas um ano antes. A Aker advertiu que o "abrandamento da economia, a depreciação do dólar e a escalada contínua dos preços das matérias primas poderão enfraquecer temporariamente o futuro da actividade no sector de paquetes de cruzeiro" Aker anunciou ainda a encomenda da armadora Mediterranean Shipping Company (MSC) de navios cruzeiro da classe Musica, a serem construídos nos estaleiros de Saint-Nazaire. Estes dois navios, que se juntam a quatro paquetes da mesma família já encomendados, reforçarão a carteira de trabalhos dos estaleiros franceses até Fevereiro de 2012, data da entrega prevista para o último navio

Informação colhida através de: Lusa/AO online

PORTO DO CANIÇAL - ZONA FRANCA DA MADEIRA





Fotos gentilmente cedidas pelo colega:





PORTO DO CANIÇAL - ZONA FRANCA DA MADEIRA






Fotos gentilmente enviadas pelo colega: www.sergiocruises.blogspot.com



domingo, 17 de agosto de 2008

RECORDAÇÕES - UMA FAMÍLIA LIGADA AO SHIPPING - A HOMENAGEM MERECIDA

Manuel Gustavo Modesto, meu Pai.
Na foto: Cédula de Apanhador.
Emitida pela Casa dos Pescadores de Matosinhos
datada de: 14 de Maio de 1968

RECORDAÇÕES - UMA FAMÍLIA LIGADA AO SHIPPING - A HOMENAGEM MERECIDA


Manuel Gustavo Modesto, meu Pai
Na foto: Carta de exame para: Arrais de embarcações para trafêgo Local
Carta fornecida pela: Capitania do Porto de Leixões datada de: 24 de Maio de 1962

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

REBOCADOR - TRITÃO - LEIXÕES











































Pormenor da superestrutura do Rebocador TRITÃO.
Número IMO - 9327853
Bandeira - Portugal
Porto de Registo - Leixões
Sinal de Chamada - CSXT5
Ano de Construção - Novembro de 2004
Arqueação Bruta - 278 t

domingo, 10 de agosto de 2008

GOVERNO APROVA DIPLOMAS PARA AUMENTAR AS CAPACIDADES PORTUÁRIAS DO PAÍS

O Conselho de Ministros aprovou hoje um decreto-lei que altera as bases da concessão da exploração do terminal de contentores de Alcântara Sul, Lisboa, prevendo investimentos para o reforço da capacidade e acessibilidade de navios e carga.As alterações “vão permitir o aumento da capacidade para contentores e por outro lado vão permitir que os maiores navios do mundo possam acostar”, destacou a secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino, no final da reunião do Conselho de Ministros.O aumento da procura do terminal portuário, sobretudo desde 2000, obriga a que “se verifique um significativo incremento da respectiva capacidade”.O novo plano de investimentos prevê um investimento de 227,7 milhões de euros, a suportar pela Liscont, “na elaboração de estudos e projectos, na execução de obras de infra-estruturas projectadas e na aquisição de equipamentos necessários à actualização das condições de operação do terminal”. A Administração do Porto de Lisboa (APL) ficará responsável pela realização dos trabalhos de dragagem iniciais e de manutenção, enquanto a Rede Ferroviária Nacional (Refer) assegurará a construção do desnivelamento entre a Linha de Cascais e a Linha de Cintura de Lisboa e de um túnel ferroviário.A ligação ferroviária ao porto de Lisboa, disse Ana Paula Vitorino, permitirá retirar da cidade “mil camiões por dia”.Estas intervenções inserem-se no projecto “Nova Alcântara”, apresentado pelo Governo em Abril, que envolve uma intervenção ferroviária, com a criação de um novo nó, e uma portuária, com um novo terminal de contentores, cujas obras começam já e estarão concluídas em 2013.Duas novas admnistrações portuáriasO Conselho de Ministros aprovou ainda dois diplomas que criam a administração do Porto da Figueira da Foz e a administração do Porto de Viana do Castelo, que se vêem juntar às cinco administrações portuárias já existentes.“Os dois diplomas transformam os hoje departamentos do Estado em empresas portuárias”, visando “uma gestão mais competitiva, flexível e empresarial”, afirmou Ana Paula Vitorino.Os diplomas hoje aprovados “são mais um passo na concretização da grande aposta do Governo, o reforço do papel de Portugal como porta atlântica de entrada na Europa”, frisou a secretária de Estado. A administração do porto da Figueira da Foz, sociedade anónima de capitais exclusivamente públicos, tem o capital detido integralmente pela Administração do Porto de Aveiro.O decreto-lei aprovado hoje “vem concretizar uma das Orientações Estratégicas do Governo para o Sector Marítimo-Portuário, transformando um dos portos nacionais secundários em unidade empresarial, com a natureza jurídica de sociedade comercial anónima, com autonomia de gestão, numa lógica de articulação com os portos principais”, lê-se no comunicado do Conselho de Ministros.A constituição desta nova administração portuária “permite dotar o porto da Figueira da Foz de uma administração portuária, habilitada com instrumentos adequados a uma gestão mais dinâmica e flexibilizada, suportada em elevados níveis de autonomia e atribuição de competências”.

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

JANELA ÚNICA PORTUÁRIA


Os agentes económicos passam a relacionar-se com cada porto através de um único canal electrónico Os portos de Leixões, Lisboa e Sines vão passar a estar ligados electronicamente. O projecto, denominado Janela Única Portuária, nasce de um protocolo celebrado entre a Direcção-Geral das Alfândegas e dos Impostos Especiais sobre o Consumo (DGAIEC) e as administrações de cada um dos portos. A ideia é garantir que os agentes económicos passem a relacionar-se com cada porto através de um único canal electrónico, uma espécie de balcão único virtual, tendo a possibilidade de tratar desta forma todos os processos administrativos para o despacho de mercadorias e navios.


Desta forma, «simplifica-se os processos para melhor servir as empresas», conforme referiu o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais. De acordo com João Amaral Tomaz, em 2005, «99 por cento das mercadorias importadas em Portugal chegaram pela via marítima». O valor representa «a entrada de 15 000 navios, o que em termos de processo administrativo corresponde a 15 formulários e a cerca de 100 páginas por navio». No total, são quase «um milhão e quinhentas mil páginas de papel que deverão ser eliminadas». A Janela Única Portuária tem vindo a ser desenvolvida através do projecto PCom – Plataforma Comum Portuária, promovido pelos três portos, e ficará integrada com o SDS – Sistema Integrado dos Meios de Transporte e da Declaração Sumária, da DGAIEC. Há cerca de um ano foram reiniciados os trabalhos com esta direcção-geral «com vista à implementação da infra-estrutura tecnológica centralizada e localizada nas autoridades portuárias», referiu o José Carlos Simão do Porto de Leixões. Deste trabalho resultou em Fevereiro do corrente ano a publicação da norma nacional do Manifesto Marítimo Electrónico, concretizado nos guias de implementação dos formatos EDIFACT (Electronic Data Interchange for Administration, Commerce and Transport) e XML (Extensible Markup Language). Esta norma «é uma “peça” essencial para a programação dos sistemas para suportarem os dados que constituem o manifesto electrónico», disse ainda José Carlos Simão.Toda a documentação de definição processual e de definições de implementação foi entretanto produzida e aprovada pelas administrações portuárias, pela Direcção-Geral das Alfândegas e pela DGITA. Por seu turno, a infra-estrutura tecnológica fica a cargo da Direcção-Geral de Informática e Apoio aos Serviços Tributários e Aduaneiros (DGITA), estando orçado «em 1 milhão e 200 mil euros, uma vez integrados todos os portos portugueses», explicou a secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino. O alargamento do projecto Janela Única Portuária aos restantes portos nacionais deverá ocorrer através do projecto PIPe – Procedimentos e Informação Portuária electrónica, que tem como âmbito a simplificação e harmonização dos restantes procedimentos portuários e a respectiva adaptação para suporte electrónico dentro da filosofia de Janela Única.A Janela Única Portuária é também uma oportunidade para se avançar com um «mais eficaz combate à fraude fiscal e aduaneira neste sector», disse Amaral Tomaz, e para tornar «mais célere todo o processo», acrescentou Ana Paula Vitorino. Na verdade, «um despacho aduaneiro que demora actualmente, em média, três a quatro dias, deverá passar a levar apenas duas horas», referiu a secretária de Estado dos Transportes. Esta responsável falou ainda nas vantagens «em termos de redução do tempo de imobilização e também dos custos globais». Ana Paula Vitorino acredita que este é «mais um passo no sentido de tornar os portos portugueses mais atractivos e competitivos». Na verdade, disse a governante, «na Península Ibérica, apenas o porto de Barcelona apresenta o mesmo grau de desenvolvimento tecnológico».No caso do porto de Sines, José Carlos Simão considera que «a implementação de uma filosofia de paperless, desmaterializando os processos em cerca de 90%», é uma das mais-valias deste projecto. Por seu lado, deverá ainda verificar-se um «ganho de 12% na atractividade do transporte marítimo por efeito da eficácia e fiabilização dos processos portuários». O mesmo responsável salientou ainda o facto de passar a ser possível efectuar «um rastreio a 100% das mercadorias com recurso a tracing e tracking, e implementação total do conceito de inventário em movimento para os sistemas logísticos que utilizam os portos».


Texto /Text copyright Cláudia Sarmento

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

FUNCHAL 500 TALL SHIPS REGATA

De 2 a 5 de Outubro de 2008 irá decorrer um festival nos portos de Falmouth, Ílhavo e Funchal, onde alguns dos maiores veleiros do mundo - Grandes Veleiros de Classe 'A' - vão marcar presença.
O evento será um dos pontos altos das celebrações do V Centenário da cidade do Funchal e relevará a importância da mais antiga cidade do Novo Mundo enquanto urbe virada para o mar e com grandes tradições marítimas.
A Regata tem quase a mesma rota comercial que os veleiros tradicionais do passado usavam para cruzar o Atlântico Norte, uma rota a sul para aproveitar os ventos predominantes."

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

MARINE SURVEYOR

A marine surveyor is usually a professional marine such as a qualified ship master, engineer, naval architect or radio officer. They conduct inspections, surveys or examinations aboard ship to assess, monitor and report on the condition of the ship, as well as attending the manufacturers of new equipment intended for new or existing vessels, to ensure compliance with various standards or specifications. Surveys typically include the structure, machinery and equipment (navigational, safety, radio). Increasingly, Classification and government-appointed marine surveyors also are involved in other aspects, including confirming compliance with international treaties associated with such things as pollution, international security, and safety management schemes. They may also examine cargo gear to ensure that it meets the requirements or regulations.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

RECORDAÇÕES - UMA FAMILIA LIGADA AO SHIPPING - A HOMENAGEM MERECIDA

MEDALHA DE LOUVOR ATRIBUIDA PELOS ISN A MANUEL MODESTO (Meu Pai).


Navio motor Português, lançado à água em 1949, pertencia à Companhia de Navegação Carregadores Açoreanos e deslocava cerca de 2.592 toneladas. Naufragou por encalhe no Leixão Grande, junto ao molhe norte de Leixões, a 20 de Março de 1955, sob violento temporal. O mar acabou por desfazer o navio e nos dias de hoje apenas é possível encontrar no local a caldeira, um ou outro apetrecho e algumas chapas.
Repousa a uma profundidade aproximada de 12 metros.
Algumas caracteristicas do navio:
Navio Nº 16 da frota > Nº Of. 942 > Iic.: C.S.L.R.Em serviço desde 06.1949 até 20.03.1955Construtor: Blyth Drydock & Shipbuilding Co Ltd., Blyth, 06.1949Tonelagens: Tab 2.585,41 to > Tal 1.174,55 to > Porte 3.973 toCpmts.: Ff 106,44 mt > Pp 100,46 mt > Bc 14,56 mt > Ptl 4,81 mtMáq.: N.E. Marine Engineering, 1949 > 1:Di > 3.800 Ihp > 14 m/h.

RECORDAÇÕES - UMA FAMILIA LIGADA AO SHIPPING - A HOMENAGEM MERECIDA


DIPLOMA DE LOUVOR CONCEDIDO A: MANUEL MODESTO (Meu Pai).

Navio motor Português, lançado à água em 1949, pertencia à Companhia de Navegação Carregadores Açoreanos e deslocava cerca de 2.592 toneladas. Naufragou por encalhe no Leixão Grande, junto ao molhe norte de Leixões, a 20 de Março de 1955, sob violento temporal. O mar acabou por desfazer o navio e nos dias de hoje apenas é possível encontrar no local a caldeira, um ou outro apetrecho e algumas chapas.
Repousa a uma profundidade aproximada de 12 metros.
Algumas caracteristicas do navio:
Navio Nº 16 da frota > Nº Of. 942 > Iic.: C.S.L.R.Em serviço desde 06.1949 até 20.03.1955Construtor: Blyth Drydock & Shipbuilding Co Ltd., Blyth, 06.1949Tonelagens: Tab 2.585,41 to > Tal 1.174,55 to > Porte 3.973 toCpmts.: Ff 106,44 mt > Pp 100,46 mt > Bc 14,56 mt > Ptl 4,81 mtMáq.: N.E. Marine Engineering, 1949 > 1:Di > 3.800 Ihp > 14 m/h

PORT OF HAIFA: 20% INCREASE CONTAINER


The port handled 12.2 million tons of cargo compared to 10.5 millions in the parallel period last year Haifa Port Ltd. reported last week that 1H was a record breaking period in terms of general cargo and containers moving through the port. During the first six months, the port handled 12.2 million tons of cargo compared to 10.5 millions in the parallel period last year, 18% up. The figures show 20% increase in container movement in terms of TEU. During the first six months the port handled TEU 700,000 out of which TEU240,000 were handled at the new western container terminal. Compared to last year the port experienced an increase of 7% in the number of imported containers, 2% in export and sharp increase of 63% in containers transshipped through the port. During the first six months the port's container terminals handled, on average, TEU 115,000, per week. Haim Lenzizky, the acting director general, noted that the new figures put the port as the largest Israeli maritime gateway and the largest export port of the country. He attributed the success of the port to Haifa Port’s skilled and professional staff which provides the global maritime community with the highest quality service.

sábado, 2 de agosto de 2008

CAIS DE PORTIMÃO - AUMENTO

O Cais de Comércio e Turismo de Portimão irá ficar unido ao Cais da Marinha. Estudo de Impacte Ambiental está em discussão pública até 2 de Setembro.
O Cais de Comércio e Turismo do Porto de Portimão vai ser aumentado. A obra é uma das contrapartidas materiais estabelecidas no contrato de concessão celebrado entre o Estado e a empresa Marinas do Barlavento SA, para a construção da Marina de Ferragudo.

As obras, que irão unir o extremo sul do Cais de Comércio e Turismo de Portimão ao cais da Marinha, aumentam a extensão deste em 220 metros e têm o mesmo horizonte temporal de realização das obras da Marina de Ferragudo.

A acostagem de um maior número de navios em simultâneo é o principal objectivo desta obra que, segundo o Estudo de Impacte Ambiental (EIA), «se revela importante dada a tendência para o incremento do tráfego de passageiros neste cais que se tem verificado nos últimos anos, permitindo igualmente uma maior capacidade de recepção e expedição de cargas».

O cais ficará habilitado a receber em simultâneo dois navios cruzeiro de 220 metros e três navios se forem de menores dimensões. Estas alterações permitem triplicar a actual capacidade de acolhimento de navios e passageiros para 4000 visitantes diários.

A obra, cuja entidade licenciadora é o Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos, permitirá ainda, segundo o mesmo estudo, aumentar a exportação florestal por via marítima, prevendo-se um crescimento até às 10000 toneladas por ano.

AVEIRO-GRANEIS ALIMENTARES RECEBE PRIMEIRO NAVIO

O terminal de granéis alimentares que a Socarpor (Aveiro) instalou esta sexta-feira, em Aveiro, o primeiro navio.Após esta fase de testes, o terminal estará pronto a funcionar dentro de uma semana.O Swami foi o primeiro navio a escalar o novo terminal de granéis alimentares de Aveiro. Chegou ao princípio da manhã desta quinta-feira, com 3 850 toneladas de cevada a bordo para descarga nas novas instalações.A operação foi «destinada a aperfeiçoar procedimentos e a testar os novos equipamentos instalados, pelo que, dentro de uma semana este terminal estará totalmente operacional. O terminal de granéis alimentares de Aveiro representa um investimento privado de 25 milhões de euros. Tem 16 silos e equipamentos de carga/descarga, totalmente automatizados e em circuito fechado», segundo comunicado do Porto de Aveiro.A capacidade de armazenamento do terminal é de 60 mil toneladas e a capacidade anual de movimentação de cargas de cerca de 1,6 milhões de toneladas.

Arquivo do blogue

PORTO DE LEIXÕES

PORTO DE LEIXÕES