sexta-feira, 15 de maio de 2009

DÚVIDAS - TERMOS - DEFINIÇÕES

SÍNTESE DO TRANSPORTE MARÍTIMO
---
Transbordo de Contentores:
Hub & Spoke: Centralização de carga e distribuição.
Interlining: Entre navios transoceânicos.
Transporte Gateway: Trâfego de importação-exportação de mercadorias. A diferença do transbordo é que utiliza o transporte de cabotagem ou o transporte terrestre, para a distribuição da mercadoria com origem e-ou destino no Porto.
Transporte Ro-Ro:
Ro-Ro: No navio só viaja a plataforma (atrelado).
Ro-Pax: No navio viaja o camião ou plataforma e tractor e o condutor.
Auto-Estradas do Mar: Transporte Inermodal "porta a porta" de mercadorias, capaz de absorver fluxosprovenientes de rodovia. A sua viabilidade depende fundamentalmente de factores como a situação geográfica, o volume de carga e acessibilidade, e requer infra-estruturas portuárias, equipamento e serviços marítimos mínimos para garantir a sua viabilidade.
Transporte Marítimo de Curta Distância (TMCD): Transporte nacional e internacional (fundamentalmente UE), que se classifica em função da sua regularidade de serviço e do tipo de carga transportada (contentores, Ro-Ro). A sua viabilidade e desenvolvimento, fortemente impulsionado na UE, devem-se fundamentalmente à congestão e aos elevados custos ambientais do transporte por estrada e ao incremento do volume de mercadorias contentorizadas.
O TMCD implica, regra geral, menores custos, maior fiabilidade e tempos de entrega similares ao transporte rodoviário.
A Unidade de transporte intermodal (UTI) é o contentor, a caica móvel, ou o semi-reboque adequado para o transporte intermodal.
Os Principais Trâmites-procedimentos aduaneiros relacionados com o despacho de mercadorias é o documento administrativo único (DAU), o manifesto de carga e a declaração sumária de descarga.
Os serviços oficiais de inspecção relacionados com a exportação e a importação, centram-se na inspecção de qualidade e sanidade animal e vegetal.
O contrato de transporte marítimo designa-se "conhecimento de embarque" (Bill of Lading B/L).
As plataformas logísticas desempenham um papel chave no transporte intermodal, proporcionando serviços integrais para as tarefas de armazenagem, manipulação e distribuição, assim como para os agentes implicados nos mesmos.
Porto: Centro multimodal para onde confluem diferentes modos de transporte e que dispõe das instalações necessárias para oferecer serviços logísticos.
Porto Seco: Área interior que recebe e expede carga cuja origem e destino são portos marítimos.
Zona Actividade Logísticas: As ZAL proporcionam serviços de valor acrescentado para a cadeia logística de distribuição.

3 comentários:

Farinha disse...

"Ro-Ro: No navio só viaja a plataforma (atrelado)". Muito bem!
Só que, aqui na Madeira a entidade portuária APRAM e um jornalista do DN-Madeira querem alterar a real definição de RO/RO, ao quererem acabar com o transporte de atrelados no ferry do Armador Armas, passando a transportar camiões, acabando deste modo com o movimento de tractores à entrada do Porto do Funchal.
Será que o IPTM pactuará com essa ideia?

JOSÉ MODESTO disse...

Meu Caro Amigo Farinha, peço-lhe não me faça perguntas dificeis!!!
Veja bem o que lhe vou dizer:
Por vezes quando se Publica demasiadamente um Armador....sobretudo nos vários meios de Comunicação Social as contrapartidas.Oposições por vezes começam a aparecer.
Antes ninguém conhecia o Armador...agora que os resultados estão á vista....tem que se alterar.

Vai-se lá entender este tipo de transporte, cuja nomenclatura ainda não funciona no Glossário do Shipping.

Respondendo á sua pergunta, Sinceramente não sei... em Portugal é tudo possivél.

Saudações Marítimas
José Modesto

Farinha disse...

Caro amigo José Modesto.
Obrigado, de facto é uma pergunta difícil.
Cumprimentos
Paulo Farinha

Arquivo do blogue

PORTO DE LEIXÕES

PORTO DE LEIXÕES