segunda-feira, 13 de outubro de 2008

MAR SHOPPING

O Mar Shopping, maior centro comercial do IKEA, abre esta quinta-feira as portas, em Matosinhos.
O projecto conta com 14 lojas âncora, ente as quais a já inaugurada Ikea, sete salas de cinema, 5.100 locais de estacionamento e uma área de restauração com 1.250 lugares sentados, aberta para um terraço com vista para a linha de mar, virado a poente, lembra a «Lusa».
As estimativas apontam para que este novo espaço comercial receba 15 milhões de visitantes no primeiro ano.
Outra grande aposta deste novo centro comercial é dar espaço às crianças, com quatro pequenos recreios e uma área com capacidade para uma centena de crianças onde os pais as podem deixar. Denominado «Mar Júnior», este espaço será gratuito nas duas primeiras horas, sendo que a partir da terceira terá um custo «simbólico» de dois euros/hora.
Não sendo uma noticia sobre shipping, não podia deixar de dar esta noticia de interesse local.
Leça da Palmeira projecta-se, já que será o maior centro comercial do grupo Ikea.

2 comentários:

ATRIBUTOS disse...

Meu caro,

Lamento, mas não sou adepto de "shoppings", embora, como a todos nós me seja imposta a sua frequência.
E não acredito que a médio prazo, este, mais um, seja bom para Leça da Palmeira e Matosinhos.
Com um comércio a nivel regional e também nacional em queda acentuada, com o pequeno comerciante a viver dias amargurados, mais uma estrutura deste nível, só vai ajudar a quebrar as vendas do comércio tradicional.
Não temos capacidade para tanta loja. Não há poder de compra para tudo isto, nem compradores em número suficiente.
Estas enormes lojas, feitas com o que se diz ser, lavagem de dinheiro, só vão servir, a médio prazo, para que o zé povinho, ponha o fato de treino novo, ou bem lavado, e lá vá passear aos domingos e feriados, não comprando nada pois que a crise é muita, quando bem poderia ir até à beira mar, por os filhos a correr.
O actual fracasso do comércio tradicional, muito deve aos muitos "shoppings" que proliferam por aí, na sua maior parte à entrada das cidades e que captam tudo o que é comprador, impedindo-o de se dirigir ao comércio tradicional e de rua.
Cidade com comércio florescente, não está sitiada com "shoppings" a toda a volta, como estão Porto, Matosinhos e Gaia.

Cumprimentos

JM

JOSÉ MODESTO disse...

Caro Amigo, partilho a sua ideia. Não sou um adepto de Shoppings.

Arquivo do blogue

PORTO DE LEIXÕES

PORTO DE LEIXÕES